Tecnologias da informação e comunicação no processo de trabalho em unidades de atenção primária à saúde de uma metrópole brasileira

Autores

  • Rodrigo Cândido Borges Universidade Federal de Goiás
  • Silvana de Lima Vieira dos Santos Universidade Federal de Goiás
  • Rejane Faria Ribeiro-Rotta Universidade Federal de Goiás
  • Fábio Nogueira de Lucena Universidade Federal de Goiás
  • Maria Márcia Bachion Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.59681/2175-4411.v15.iEspecial.2023.1099

Palavras-chave:

Atenção primária à saúde, Saúde digital, Tecnologia em saúde

Resumo

Objetivo: Analisar o uso de TIC no processo de trabalho na rede municipal de atenção primária à saúde de uma metrópole brasileira. Métodos: Estudo descritivo-exploratório, transversal, realizado entre maio/2019 e fevereiro/2020, na cidade de Goiânia, capital do estado de Goiás. A população do estudo foi constituída de profissionais que atuam nos Centros de Saúde e Centros de Saúde da Família. Resultados: Nas 72 unidades de saúde avaliadas, há computadores (desktop), sistemas eletrônicos de informação em saúde e acesso à Internet, mas dispositivos móveis não são disponibilizados aos trabalhadores. Dos 1026 profissionais que participaram do estudo, aproximadamente 53% nunca realizou capacitações para uso dos sistemas adotados, e dentre aqueles que participaram de capacitações, cerca de 75% as consideraram insuficientes. Conclusão: O estudo provê um diagnóstico das condições de uso de TIC em estabelecimentos assistenciais de saúde de uma metrópole, e os resultados desta pesquisa poderão subsidiar políticas na área.

Biografia do Autor

Rodrigo Cândido Borges, Universidade Federal de Goiás

Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Goiás, Goiânia (GO), Brasil. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Inhumas (GO), Brasil.

Silvana de Lima Vieira dos Santos, Universidade Federal de Goiás

Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás, Goiânia (GO), Brasil.

Rejane Faria Ribeiro-Rotta, Universidade Federal de Goiás

Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia (GO), Brasil.

Fábio Nogueira de Lucena, Universidade Federal de Goiás

Instituto de Informática, Universidade Federal de Goiás, Goiânia (GO), Brasil.

Maria Márcia Bachion, Universidade Federal de Goiás

Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás, Goiânia (GO), Brasil.

Referências

Pinochet L. Tecnologia da Informação e Comunicação. Rio de Janeiro: Elsevier; 2014.

World Health Organization. Draft global strategy on digital health 2020-2025. Geneva: WHO; 2020.

World Health Organization, International Telecommunication Union. National eHealth Strategy Toolkit. Geneva: WHO and ITU; 2012.

World Health Organization. WHA66.24: eHealth standardization and interoperability. Geneva: WHO; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.768, de 30 de julho de 2021. Altera o Anexo XLII da Portaria de Consolidação GM/MS nº 2, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre a PNIIS. Diário Oficial da União. 2 ago 2021; Seção 1:45.

Ministério da Saúde (BR), Secrataria-Executiva, Departamento de Informática do SUS. Estratégia de Saúde Digital para o Brasil 2020-2028. Brasília, DF; 2020.

Ministério da Saúde (BR), Secrataria-Executiva, Departamento de Informática do SUS. Plano de Ação, Monitoramento e Avaliação da Estratégia de Saúde Digital para o Brasil 2020-2023. Brasília, DF; 2020.

Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos estabelecimentos de saúde brasileiros: TIC Saúde 2019. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil; 2020.

Prefeitura de Goiânia, Secretaria Municipal de Saúde. Relação das unidades de saúde da SMS Goiânia [Internet]. Goiânia: SMS Goiânia; 2022 [citado 28 out 2022]. Disponível em: https://www.saude.goiania.go.gov.br.

Chiou A. Random Number Generator Plus - Dice, Lotto, Coins [Internet]. Fremont: Random Apps Inc; 2022 [citado 28 out 2022]. Disponível em: https://play.google.com.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT ISO/TR 14639-2 - Informática em saúde - Roadmap de arquitetura de e-Saúde baseada em competência. Rio de Janeiro: ABNT; 2019.

Ministério da Saúde (BR), Secrataria-Executiva, Departamento de Informática do SUS. 1º Relatório de Monitoramento e Avaliação da Estratégia de Saúde Digital para o Brasil 2020-2028. Brasília, DF; 2021.

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, DF; 2012.

Fundação Getulio Vargas. Pesquisa Anual do Uso de TI. 32a ed. São Paulo: FGV EAESP; 2021 [citado 28 out 2022]. Disponível em: https://eaesp.fgv.br/producao-intelectual/pesquisa-anual-uso-ti.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. PNAD Contínua. Rio de Janeiro: IBGE; 2021 [citado 28 out 2022]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br.

Wang SS, Roubidoux MA. Coronavirus Disease 2019 (COVID-19), Videoconferencing, and Gender. Journal of the American College of Radiology. 2020;17(7):918–20. https://doi.org/10.1016/j.jacr.2020.05.019

Bethell J, Aelick K, Babineau J, Bretzlaff M, Edwards C, Gibson JL, et al. Social connection in long-term care homes: a scoping review of published research on the mental health impacts and potential strategies during COVID-19. J Am Med Dir Assoc. 2021;22(2):228-237. https://doi.org/10.1016/j.jamda.2020.11.025

Vidal-Alaball J, Acosta-Roja R, Hernández NP, Luque US, Morrison D, Pérez SN, et al. Telemedicine in the face of the COVID-19 pandemic. Atención Primaria. 2020;52(6):418–22. https://doi.org/10.1016/j.aprim.2020.04.003

Bokolo A. Exploring the adoption of telemedicine and virtual software for care of outpatients during and after COVID-19 pandemic. Irish Journal of Medical Science. 2021;190(1):1–10. https://doi.org/10.1007/s11845-020-02299-z

Lucena FN, Ribeiro-Rotta RF, Braga RD. Estrada goiana da informação em saúde: uma concepção. Goiânia: Editora UFG; 2019.

Perez, G. A contribuição dos sistemas de informação para a saúde da memória organizacional: estudo com foco na visão baseada na atenção [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2022.

Coelho Neto GC, Chioro A. Afinal, quantos Sistemas de Informação em Saúde de base nacional existem no Brasil? Cadernos de Saúde Pública. 2021;37:e00182119. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00182119

Ferreira AP, Silva BS, Pereira MAD, Oliveira VC, Oliveira Quites HF, Amaral GG, et al. Checklist para avaliação do desempenho do Sistema de Informação de Imunização: desenvolvimento e validação. Revista Cubana de Información en Ciencias de la Salud. 2021;32(1).

Chaves MMP. Estudo da percepção profissional sobre preenchimento do sistema de informação em saúde de um município do Vale do Jequitinhonha/MG [dissertação de mestrado]. Diamantina: Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri; 2021.

Zara, ALSA, Amaral RG, Galvão PGC, Kudo TN, Braga RD, Castilho SB, et al. Processo seletivo para discentes da Pós-graduação lato sensu em Saúde Digital da Universidade Federal de Goiás. In: Anais do XXVII Encontro da Rede Universidade Aberta do SUS. Goiânia: UFC, UFG, UNA-SUS; 2021.

Downloads

Publicado

20-07-2023

Como Citar

Borges, R. C., Santos, S. de L. V. dos, Ribeiro-Rotta, R. F., Lucena, F. N. de, & Bachion, M. M. (2023). Tecnologias da informação e comunicação no processo de trabalho em unidades de atenção primária à saúde de uma metrópole brasileira. Journal of Health Informatics, 15(Especial). https://doi.org/10.59681/2175-4411.v15.iEspecial.2023.1099

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)